Por que a economia da Argentina está em crise? entenda a situação

0

A crise econômica na Argentina piorou o índice social. Quatro em cada dez cidadãos vivem abaixo da linha da pobreza. A situação política só vai prejudicar mais o país. O peso argentino está passando por semanas de depreciação em relação ao dólar americano, de modo que cada vez mais cidadãos sofrem com a crise.

A pobreza nos países vizinhos afeta quase 38% da população. A situação no país abalou a sociedade e aumentou as tensões, principalmente porque a Argentina passou por uma série de anos difíceis desde o governo de 2019.

Crise argentina

A moeda – o peso argentino – seguiu uma difícil sequência de desvalorização em relação ao dólar devido à crise do país. Alguns economistas acreditam que a economia atual é resultado de desequilíbrios fiscais que também levam a desequilíbrios monetários.

Além disso, as disputas políticas domésticas também causaram grandes danos ao povo. Sem progresso e sem as normas atuais de crescimento e desenvolvimento social e econômico, a crise da nação parece longe de terminar.

Desta forma, o conflito político se manifesta na dívida externa… e só vai aumentar. Além disso, a inflação e o desemprego estão em alta. Sem uma estratégia de crescimento, as adversidades nos países vizinhos tendem a aumentar.

Sabemos que a Argentina é atualmente um grande devedor do Fundo Monetário Internacional (FMI). Cerca de 246 bilhões de reais precisam ser devolvidos. A maior dificuldade do país é somar uma crise a uma questão estrutural que persistiu ao longo dos anos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler Mais